História

Só a partir da metade do séc. XIX, a cidade se expandiu para os subúrbios. Antigas freguesias desmembraram-se em paróquias, pequenas capelas foram construídas, recebendo primazias de igrejas paroquiais.

Com a melhoria dos transportes, o surgimento da ferrovia, em 1854, e inauguração de diversas estações, foram que se abriu caminho para a ocupação da região suburbana.

Com a expansão da cidade, houve subdivisão de antigas paróquias e, em 1915, foi construída a paróquia da Conceição e São José do Engenho de Dentro, que deu origem, em1934, a paróquia de São Pedro Apóstolo do Encantado, com o endosso do Cardeal Arcebispo D. Sebastião Leme.

A paróquia de São Pedro Apóstolo ocupou a antiga capela situada à Rua Guilhermina, 91, sendo designado como primeiro vigário o padre Ariovaldo Luiz de Oliveira. Erguida com mão de obra, material e contribuições de fiéis oriundas de campanhas, mas as obras só foram concluídas em 1940.

A paróquia recebeu modificações como a fixação do Sacrário, alteração da luneta, colocação da pedra D’Ara nos três altares, obras da fachada, revestimento do interior, bem como interno e externo da torre (sineira), escadaria em leque, a gruta de Nossa Senhora, salão lateral, colocação de nova porta etc.

Com a conclusão das obras internas da torre, segundo depoimento do Pe. Ariovaldo, um paroquiano exclamou:

– Sr. Vigário agora é preciso fazer uma igreja para essa torre.

O conjunto guarda referências a capelas medievais, mantendo o caráter popular do início do século XVIII, quando o ecletismo era modelo dominante. A fachada principal, revestida de pó de pedra – característica do estilo art-déco – é decorada por uma portada arrematada por volutas, neocolonial, coroada por nicho onde se dispõe a imagem do orago, São Pedro. Imagem, provavelmente do templo primitivo, com 1m50 de altura protegida por vidro.

A nova paróquia abrangeria às ruas Goiás, José dos Reis até a Abolição; Avenida Suburbana até Ferreira Sampaio, Ernesto Nunes, Angelina, Bento Gonçalves, Guineza, José Domingues, General Clarindo, Silviano Brandão, Praça Frederico Durval, enfim, ruas adjacentes de ambos os lados.

Acervo histórico

Convênio celebrado, em setembro de 1999, entre a Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro e o Curso de Arquitetura da Universidade Gama Filho resultou numa proposta de restauração da Igreja São Pedro Apóstolo, do Encantado.

Professores e alunos elaboraram pesquisa documental e bibliográfica, fizeram levantamento de campo para constatar as condições atuais do prédio para fins da restauração.

Para tanto foi organizado um acervo, através de coleta de documentação consistente, fotografias de arquivos particulares e depoimentos de antigos moradores do entorno para subsidiar futuras decisões.

De posse desses dados, procedeu-se uma série de estudos através de croquis, procurando uma solução mais pertinente e eficaz à intervenção em Bens Culturais.

Esse material produzido pela universidade está disponível à visitação e apreciação na nova igreja, erguida na rua General Clarindo, em 1960, para receber a demanda de fiéis. Em 1990, todas as atividades litúrgicas e eventos foram transferidos para o novo endereço. Durante os festejos de São Pedro, a capela recebe cerca de seis mil fiéis.

A igreja de São Pedro Apóstolo, do Encantado, é tombada pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e edificação atual mantém a concepção dos anos 30.

 

Anúncios