Conselho

Conselho Paroquial Pastoral

1- O que é o CPP?
O Conselho Paroquial de Pastoral – CPP é o organismo representativo de toda a Paróquia, constituída por comunidades eclesiais (matriz e “capelas”), ministérios, pastorais, movimentos eclesiais, etc. É sinal e instrumento de comunhão eclesial, lugar de encontro e de convergência, de diálogo e de irradiação pastoral.

2- O que faz o CPP?
O CPP tem a missão de garantir a vida de comunhão na paróquia. Por isso, é responsável pela organização e articulação das pastorais, e pela espiritualidade e formação dos fiéis. Ao CPP cabe refletir, planejar, decidir, animar e revisar toda a ação pastoral da paróquia. Ele deve preparar, organizar e realizar as Assembleias Paroquiais de Pastoral, que são a instância mais importante da caminhada pastoral da paróquia. Ele encaminha a realização do Planejamento Paroquial de Pastoral. A ele cabe conhecer a realidade e seus desafios, julgá-la com os olhos da realidade e da Palavra de Deus, e estimular ações transformadoras que a tornem sinal do Reino de Deus.

3- Por que o CPP?
Desde o Concílio Vaticano II (1962-1965), a Igreja Católica assumiu um rosto novo. Ela foi definida como Povo de Deus. Insiste-se mais na dimensão da Igreja-comunhão. É o novo jeito de ser Igreja-família, Igreja-participação, Igreja-comunidade, Igreja-povo. Nela, todos os fiéis são co-responsáveis pela vida cristã e pela missão evangelizadora. Todos os batizados têm carismas ou dons, para serem postos a serviço da comunidade. O CPP é a expressão organizacional da Igreja, que pretende ser mais participativa e comunitária. Quanto mais conselhos houver na Igreja, mais ela será participativa.

4- Para que o CPP?
O CPP tem como finalidade garantir a presença de todas as forças vivas na animação da ação pastoral da paróquia. É sobretudo uma garantia da presença e da atuação do laicato, com o fim de superar as práticas autoritárias e clericais ainda presentes entre nós. Além disso, o CPP serve para garantir a continuidade pastoral da paróquia. Hoje é muito comum haver transferência de pároco. Bem mais comum do que antigamente, quando um pároco ficava décadas numa só paróquia. O CPP garante que, com a mudança do pároco, a paróquia não sofra quebra de continuidade de sua ação pastoral. A função principal é a de ser um lugar de participação, reflexão, decisão, execução e avaliação pastoral. O CPP é um instrumento de representação da comunidade e de articulação pastoral. O CPP é um espaço e instrumento de comunhão, de cidadania e democracia na Igreja.

5 – Como se organiza o CPP?
Como em todos os níveis da Igreja, também o CPP se organiza segundo os princípios de unidade e diversidade. Na Igreja, o papa é responsável pela unidade, enquanto os bispos do mundo inteiro representam a diversidade. Na diocese, o bispo é responsável pela unidade, enquanto os padres, diáconos e lideranças leigas representam a diversidade de paróquias, pastorais, movimentos, tendências espirituais e teológicas. Na paróquia, o
pároco é responsável pela unidade, enquanto os vigários paroquiais, os diáconos, as lideranças leigas e os coordenadores representam as forças vivas existentes na paróquia.

6 – Qual a competência do CPP?
O CPP é um conselho consultivo que, em comunhão com o pároco e de acordo com as decisões da Assembléia Paroquial, pode, a seu nível, tomar decisões pastorais. Os membros do CPP representam as forças vivas da paróquia. Por isso, cada representante não fala em nome próprio, mas em nome de quem representa e tem a obrigação de repassar, para os grupos que representa, as conclusões, decisões, reflexões de todas as reuniões.

7 – Quem são os membros do CPP?
São membros do CPP: o pároco, os vigários paroquiais, o diácono, Secretária Paroquial, o conselheiro paroquial de cada grupo(I-Espiritualidade, II-Serviços, III-Família, IV-Sacramentos, V-Liturgia e Música e VI-Juventude) e a PASCOM (Pastoral de Comunicação).

8- Quais são os objetivos específicos do CPP?
O CPP tem como objetivo específico executar as decisões das assembléias; articular e animar toda a vida pastoral da paróquia; investir na formação de lideranças; propor iniciativas pastorais; opinar sobre as finanças e o patrimônio (despesas, compras e vendas, reformas, etc.); resolver questões do dia-a-dia; ouvir a comunidade e encaminhar as soluções dos problemas. Manter a paróquia em comunhão com a comarca pastoral e ordem Salvatoriana.

9- O que é necessário para o CPP funcionar bem?
Para que o CPP possa funcionar bem, deve-se escolher pessoas representativas da comunidade; que dêem testemunho de vida; sejam abertas à pastoral e engajadas na comunidade; tenham visão de Igreja e queiram doar-se no serviço aos irmãos. É preciso, também, constituir comissões de trabalho e ter cronograma de atividades. Abrir-se às
mudanças e estudar temas de interesse comum, que ajudem a conhecer e enfrentar os desafios. Preparar bem as reuniões. Fazer de cada reunião uma oportunidade de auto-evangelização. Ter espiritualidade para superar as dificuldades. Fazer passeios, retiros e estudos em comum. Avaliar as reuniões. Usar de criatividade nas reuniões. Garantir a continuidade da caminhada. Evitar a rotatividade das pessoas.

10 – Quem preside o CPP?

Quem preside o CPP é o pároco. Ele deve estar presente em todas as reuniões, pôr na pauta os grandes desafios e compromissos da paróquia, oferecer os grandes eixos doutrinais e pastorais, a fim de iluminar os participantes a tomar as decisões que forem necessárias. Além do pároco, que preside o conselho, haverá também um coordenador(Secretária Paroquial), que será responsável pela articulação, organização, agenda das reuniões, etc. Esse coordenador(Secretária Paroquial) deve atuar em sintonia e unidade como pároco.

Anúncios